• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

AFRAM – Associação Mundial das Fraternidades Ramatis

AFRAM – Associação Mundial das Fraternidades Ramatis

Facebooktwitter

Queridos irmãos da AFRAM:”Muito me toca o coração a iniciativa de criação da AFRAM e os esforços para sua continuidade, como parte da irmandade que se mobiliza para a disseminação de informações e conhecimentos que contribuam para a evolução de todos os membros dessa família espiritual, tanto aqueles que já optaram por integrá-la como aos que advirão, no curto, no médio ou no longo prazo cósmico.
Mas, como bem exemplificou o Mestre da Galileia, que os esforços continuem levando os conhecimentos às profundezas da alma de cada um, gerando verdadeira transformação interior e atitudes renovadas pelo amor fraterno-universal.

Na verdade há um sentimento de gratidão intimamente ligado aos esforços empreendidos por todos e não por uma alma em particular, desde os velhos tempos atlantes, passando pela Antiguidade de vossa história, por aquele agrupamento que passou pela Terra, no século X, por todos que vieram depois, até os dias atuais.

Centro-me nos esforços coletivos de todos os que têm empreendido energias rumo à expansão da fraternidade universal, da autorrenovação e não ao meu nome em particular, pois, como é de consciência de todos, não devemos dar alimento ao personalismo e à vaidade.

Fazemos parte de um grande agrupamento cósmico-familiar e é responsabilidade dos que estão mais adiantados ajudar amorável e incondicionalmente os que se encontram atrasados na escola da evolução.
Somos servidores do Pai Maior e nossa missão no momento é dedicar nosso tempo ao aprimoramento espiritual da Terra. Tudo mais virá por acréscimo aos esforços empreendidos desinteressada e amoravelmente.

Para que esse aprimoramento se instale em cada alma, se expanda e se multiplique dentre os terráqueos encarnados e desencarnados, iniciativas como a AFRAM representam mais um sustentáculo e ancoragem para disseminação dos conhecimentos e exemplos vivenciados pelo Mestre Jesus, e das informações que, complementarmente a Kardec, mais recentemente pudemos trazer ao mundo das formas.

Quanto mais os membros do nosso núcleo familiar cósmico evoluem, mais mobilizados esses membros se sentem ou devem cultivar o desejo de sentir-se como agentes da ampliação dessa família universal, especialmente com os que habitam a Terra (encarnados e desencarnados).

Por se tratar de conhecimentos e informações que não nos pertencem, mas ao Pai Celestial, podemos deduzir que nada nos pertence, mas ao Pai. Que esses atributos são dádivas do Universo e portanto, que não devem representar instrumentos de apego a nomes, a proprietários ou a sentimentos egocêntricos e vaidosos.

Há muito nos desprendemos desses grilhões que aprisionam a maioria das almas terrenas e assim, incentivamos cada um de vós a caminhar na direção do Amor Universal.

Sabemos que a maioria dos habitantes da Terra ainda se apega a ídolos e a personalismos, e por conhecer essa predominante natureza psicológica terrena é que respeitamos as vossas limitações humanas. Ressaltamos, porém, que o “orai e vigiai”, dito pelo Mestre, deve permear vossas atitudes mais íntimas, para que não sejais surpreendidos pelas armadilhas criadas por vós mesmos na hora do encontro com vossas consciências, quando no desencarne.

Não raras vezes, a idolatria é um subterfúgio para a alma preguiçosa, presa a condicionamentos passados, e portanto, resistente ao profundo mergulho interior, para a autodescoberta verdadeira e a renovação efetiva de seus sentimentos, apegos e pensamentos viciosos ou desajustados dos princípios crísticos.
Tudo o que pudemos trazer nas últimas sete décadas e mais recentemente, pode se resumir a um convite aos irmãos da Terra, com endereçamento especial a cada um de vós que compreende a amplitude de nossas palavras: segui os exemplos do Mestre – “conhece-te a ti mesmo, ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”.

Que os irmãos da AFRAM não fiquem estagnados nas fronteiras do conhecimento espiritual, mas que busquem a verdade dentro de si mesmos, que alimentem os bons propósitos já conquistados interiormente, e que os multiplique pela prática da fraternidade universal. Vigiai quanto a uma das mais danosas armadilhas do caminheiro: a vaidade, especialmente a vaidade espiritual.
Não se apeguem às institucionalidades comuns à maioria das organizações religiosas terrenas, que se perdem na burocracia espiritual e nos grilhões do orgulho, vaidade e separatismo.
Os caminhos da espiritualidade são vários, os métodos diversos, mas na essência, a renovação interior e a caridade consigo e com o próximo são indissociáveis na ascese do espírito desejoso de encontrar a verdadeira felicidade.

Os vários caminhos metodológicos das correntes espirituais tendem a levar, por natural atração dos semelhantes, à criação de grupos, conforme a maturidade e a natureza de cada um. Já como treinamento da nova era terrena, deverá haver cada vez mais momentos de congraçamento, ecumenismo, interação de todos, apoiados naqueles pontos essenciais que permeiam os buscadores do Bem e que são comuns a qualquer agrupamento sério no seu propósito de encontrar o Pai Maior. Esse exercício de fraternidade universal, não discriminatório, deve ser visto, sentido e vivenciado como um instrumento que aproxima corações de irmãos que vieram da mesma Fonte Criadora.

A estrada do coração para o caminheiro espiritual será a única capaz de unir as diferenças, inclusive dentro de uma mesma associação, como é o caso da AFRAM. Que maravilha é este universo tão diverso. Que o exemplo de Jesus, como maestro da orquestra do amor fraterno, possa iluminar vossos corações na maior aproximação entre os membros e não membros da AFRAM.

Que os irmãos possam criar mais momentos de entrelaçamento dos corações, pois só o amor fraterno, e sentido na intimidade da alma, será capaz de levar nossas informações e nossas vibrações às mentes mais distantes deste país e deste planeta.
No grande plano cósmico para a Terra, que intensifica sua implementação por variadas iniciativas retificadoras, nestes tempos que são chegados, cabe a cada agrupamento de almas encarnadas e desencarnadas, esforços apropriados, metas específicas e capacitação adequada conforme cada natureza, e desafios necessários a cada alma em sua jornada evolutiva.

Há grupos de socorro, há hospitais espirituais, há escolas primárias, secundárias e aquelas dedicadas ao aprofundamento iniciático. Há aqueles agrupamentos que mesclam um pouco de cada um desses aspectos e, estes movimentos mais abrangentes, integrativos e integradores deverão crescer à medida que os anos próximos chegarem. Neste sentido, boa vontade, mentes e corações abertos, organização e disciplina são e serão pautas condicionais para que haja êxito nos esforços, bem como no processo de compreensão e digestão de informações, conforme a maturidade espiritual de cada um.

Reafirmamos, portanto, nossas aspirações de que a AFRAM seja, acima de tudo, um movimento do amor universal, desprovido de propagandas ao personalismo, e levando informações que enlevem o espírito, independentemente de sua fonte e provenientes de qualquer lugar ou ser do Universo.
O importante é a disseminação de informações e conhecimentos renovados e atualizados sobre a evolução, os processos que compõem essa caminhada espiritual e os mundos ainda desconhecidos ou pouco conhecidos pelos terráqueos, já como preparação para os tempos que virão. Informações transmitidas sem amor são pouco eficazes devido à frieza do canal de transmissão, e assim, pouco atingem a alma. E o exemplo da alma continua sendo o mais eficaz canal multiplicador do amor universal.

Temos tido, recentemente, muitas e diversificadas reuniões na Colônia do Grande Coração, com agrupamentos diversos, como parte do grande plano de resgate de almas, realização de cursos intensivos e a implantação de projetos reencarnatórios, haja vista os tempos e acontecimentos que chegam mais aceleradamente doravante e para as próximas duas décadas.
Muitos de nós reencarnarão, mas isto se processará de forma planejada, dentro dos próximos cem anos, com descidas coletivas, dentro do princípio da família cósmica, isto é, grupos que deverão se encontrar na “carne” e se unirão para propósitos específicos e organizados, de acordo com orientações daqueles que dirigem o Sistema Solar e a Terra.

Face ao momento delicado por que passa a Terra, não podemos precisar ou não temos permissão para no momento precisar quando esta ou aquela alma reencarnará (exceto em poucos casos ou em casos gerais), pois se nos mais grosseiros planos dos terráqueos ocorrem mudanças e adequações ao longo do percurso de certos projetos, conforme determinadas contingências ou situações, assim podeis ter uma pequena noção do que pode existir nos planos espirituais superiores, quando ocorrem estudos e análises num espectro mais complexo que a cotidiana vida terrena, pois envolvem multiplicidades de fatores, em termos de inúmeras almas de seres humanos a encarnar e a desencarnar, de almas de animais e plantas, bem como de todo o complexo do reino mineral, e todos esses componentes interagindo de forma sistêmica entre si e com os movimentos “vivos” advindos do Sol (centro do Sistema), do centro da Terra (sob comando do Cristo planetário)e tantos outros aspectos e acontecimentos que não cabe neste momento serem aprofundados.

Soma-se a isso, o complexo e abrangente processo de transmigração de almas que chegam e que saem da Terra, o que tem nos ampliado a cooperação e a fraternidade cósmica com irmãos de variados orbes do Sistema Solar e de outras paragens do Universo.

Quem lida com a expansão da fraternidade universal não se prende a um médium, aliás não se prende a formas ou veículos físicos e limitantes dessa expansão. A fluidez com que se processam as informações e o amor universal tem como limite o universo infinito e suas infinitas formas de manifestação nos mundos mentais, astrais e físicos.

A humildade proveniente do Pai Celestial nos posiciona como médiuns da Força e da Consciência Superior, e portanto, nem eu, nem espírito algum interromperá essa Força Amorável e expansora da consciência que cobre e desce continuamente sobre as imperfeições humanas. Não existe uma peça nesse complexo xadrez, mas muitas e muitas peças que possam dar continuidade aos trabalhos que não podem cessar, em especial, neste momento crucial para a vida evolutiva terrena. Quando nos propomos a ser canais desse amor, também, nos propomos a dividi-los com tantos outros canais que se dispõem amorável e desinteressadamente a servir ao Pai.

Estamos em pleno processo contínuo de capacitação vivencial do amor cósmico e assim, nos encontramos entrelaçados pelo amor fraterno-universal a muitas e muitas almas sintonizadas com os mesmos propósitos superiores.

Trabalhamos para chegar um dia a sentir o que Jesus vivenciou: “eu e meu Pai somos um”. E que essa aspiração se materialize à medida que nos diluirmos no Seu Amor, sem individualismos, mas cônscios de nossa individuação contribuinte do Amor Inseparável do Pai, como “corpo” único nessa célula cósmica.
Paz e amor aos vossos espíritos. Persistência, firmeza e delicadeza em vossas atitudes. Respirai alegria em vossa caminhada.

Do vosso irmão de sempre:Ramatís.”

Médium: Sávio Mendonça
02 de junho de 2015

 

Facebooktwitter