• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

COMBATENDO AS PICUINHAS CONSCIENCIAIS

COMBATENDO AS PICUINHAS CONSCIENCIAIS

Facebooktwitter

(Resposta de Wagner Borges a um leitor: “Por que têm pessoas que ficam julgando a programação existencial dos outros e determinando se fulano ou sicrano estão desviados do que vieram fazer durante o período reencarnatório?”)

Ficar de olho na vida alheia sempre ferra com a gente!
É melhor ficar vigiando as próprias besteiras.
E trabalhar muito, para realmente crescer.
Nós não somos mestres sequer de nós mesmos.
Então, como pretendemos corrigir os outros?
Quando olhamos algo com arrogância, vemos claramente?
Ou o nosso olhar fica tisnado com as cores da nossa opinião?
Nós somos realmente trabalhadores da Luz quando fazemos isso?
Certa vez, o Pai Joaquim* me disse o seguinte:
“Essas coisas de quizumba e maledicência fazem muito mal a todos.
Nosso Senhor Oxalá não gosta disso, não!
É melhor prestar atenção para não cair em tal armadilha.
Quem é da Luz não fica regulando a espiritualidade dos outros.
E nem se acha superior a ninguém (sabe que Oxalá é Senhor de tudo).
Também não zomba dos mais fracos e nem dá trelas para o que é negativo.
Na Luz de Oxalá tudo se revela… e o coração se desnuda diante do infinito”.
Quem é da Luz sabe que está no mundo para aprender e trabalhar para si mesmo.
Quem de nós sabe tudo? Quem não tem coisas a acertar? Quem é perfeito?
Quando olhamos o lado negativo de alguém, nos tornamos negativos também.
Portanto, é bom prestar atenção naquilo que nós mesmos fazemos.
Nosso campo energético revela tudo aquilo que está dentro de nós.
É sempre um desperdício gastarmos nossas energias julgando os outros.
Quem é da Luz fica de olho na sua própria programação existencial…
Pois sabe que quem fica de olho na programação alheia, perde a sua própria de vista.

P.S.:
Deixo aqui algumas palavras de sabedoria do Pai Joaquim:
“A sorte do mundo é que o Senhor ama profundamente a humanidade.
Acho que nem Ele sabe o quanto ama a todos!
E, talvez, nem Ele mesmo saiba o porquê.
Só sabe que ama!
E Ele ama direito!
Feliz é quem sabe disso.
Feliz como Ele.
É nosso Senhor quem segura as pontas.
Quem sabe disso, agradece e caminha feliz, sem reclamar de nada”.

– Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.

– Nota:
* Pai Joaquim – sábio mentor espiritual que opera nas lides extrafísicas da umbanda e que ajuda a muita gente, de todas as linhas espiritualistas. Ver o texto “Toques espirituais do Preto-Velho Amigo – XII”, postado nesse link:
http://www.ippb.org.br/textos/1498-toques-espirituais-do-preto-velho-amigo-xii

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *