• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

DESREGRAMENTO SEXUAL

DESREGRAMENTO SEXUAL

Facebooktwitter

DESREGRAMENTO SEXUAL – CONSEQUÊNCIAS PARA AS FUTURAS ENCARNAÇÕES.

PERGUNTA: Que acontece ao homem extremamente luxurioso, em sua nova encarnação, por efeito de sua vida demasiadamente lasciva e dos prejuízos que semeou truncando sonhos, destinos e infelicitando mulheres?

RAMATIS: Caso se trate de entidade extremamente pecadora pelo excesso de lubricidade, cujo perispírito vibra na faixa do descontrole emocional, e sob o domínio do combustível inferior da animalidade lasciva, há de modelar, na próxima existência física, um tipo desbragado nos diversos sentidos em que essa energia predominante inferior deve atuar na sua modulação carnal.
Comumente, fere não só o campo cérebro-perispiritual; modifica as linhas de forças construtoras da fisionomia humana, e produz tão grave vulnerabilidade psicofísica, que os demais vícios ou delinquências menores existentes na intimidade do reencarnado, e menos ofensivos, terminam também se dinamizando.

Impõem a sua influência na formação anômala, desde o campo neurológico até o sistema reprodutor, produzindo-se um tipo de aspecto predominantemente luxurioso, mas débil, perigoso ou psicopata, pela característica de maldade e impiedade, na infelicitação de mulheres vítimas de sua sanha erótica. É agravado ainda pela impotência e esterilidade, proteção da Lei para evitar a continuidade de um binômio perispiritual e físico tão indesejável.

Descontrolado pela sexualidade, extravasando por todos os poros do corpo, mas impotente e com dificuldades motrizes, é a criatura obscena, cuja fisionomia mais parece a tela cinematográfica projetando os “facies” dos animais mais afins da luxúria do pernicioso residual do perispírito, na própria tortura de não lograr a satisfação sexual, na compensação obscena e na incessante irritação e atividade neuromuscular, cansando a mente, levando-o ao delírio e, depois, prostrando-o numa fadiga delirante!

… No monturo de carne deformada pela configuração grotesca, no aspecto repulsivo, chocante e agressivamente sexual, jaz a figura do famigerado “don juan”, desencaminhador de donzelas incautas, o conquistador de moçoilas tolas, inexperientes e apaixonadas facilmente pelas promessas e mistificações, afogado no próprio fluido de sua atividade anterior, extremamente irresponsável.

Sem dúvida, é extensa a gama de comprometimentos e reparações no campo de qualquer ação culposa ou dolosa, que deve sofrer para se redimir qualquer espírito delinquente, agravando-lhe a situação pelas demais atividades complementares e contrárias ao bem, resultantes do sentimento fundamental. No caso extremo do tarado sexual, agrava-se sua situação retificadora, quando, no exercício de sua atividade ilegal, ainda deu vazão a outros sentimentos como ódio, avareza, gula, alcoolismo, toxicomania, ciúme, ira ou astúcia. O cortejo de energias mobilizadas do mundo animal, termina decorando-lhe a figura semi-humana na próxima encarnação, de modo a eclodir através do perispírito sacrificado e fluir para o meio ambiente até o derradeiro alívio.

PERGUNTA: Porventura, o espírito sob cruciante filtração e drenagem de energias ou toxinas criadas pelo seu descalabro, como no caso do homem luxurioso, liquida o seu “carma” gerado pelas causas condenáveis numa só existência?

RAMATIS: O processo de retificação cármica dura tanto quanto seja a intensidade do fluido anômalo aderido à tessitura delicada e hipersensível do perispírito. Ademais, como é um processo técnico sideral, vale ainda a sua resistência biológica à cruciante exsudacão tóxica psíquica, servindo de proteção, ainda, nos tratamentos que trarão relativo alívio no auge do sofrimento e delírio. Em alguns casos até é interrompida pelo delírio-suicida, quase sempre sob a obsessão impiedosamente feita pelos adversários do passado.
Não raro, algumas das suas vítimas, ou companheiros dos sacrificados à sua sanha lasciva, amparados por outras entidades vingativas, conseguem frustar a existência física e benfeitora do seu algoz, para lançá-lo novamente, noutra experiência sacrificial para sofrer no Além-Túmulo a ideoplastia consciente de suas atividades criminosas. Assim, tanto é possível à alma delinquente lograr a normalidade perispiritual, caso complete a drenagem mórbida sem acontecimentos imprevisíveis deletérios, e a sua organização carnal resista aos impactos destrutivos e lesivos da carga fluídica tóxica em exsudação, como necessitar de duas, três ou mais encarnações, expurgando aos poucos para o mata-borrão vivo do corpo carnal, o conteúdo indesejável e mortificante imantado ao perispírito.

DO LIVRO: “SOB A LUZ DO ESPIRITISMO” RAMATÍS/HERCÍLIO MAES – EDITORA DO CONHECIMENTO.

Facebooktwitter