• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

Devemos atender a distância quem não sabe que está sendo atendido?

Devemos atender a distância quem não sabe que está sendo atendido?

Facebooktwitter

Bom essa pergunta tem várias respostas:

1º caso – Se tivermos um familiar doente espiritual pelo ataque de obsessores, sigo a premissa psiquiátrica, todo doente emocional que prejudicar a segurança e integridade dele e de seus familiares, deve ser atendido e depende do caso hospitalizado mesmo contra sua vontade. Assim penso que em casos de obsessão violenta, deve ser atendidos aquelas pessoas nesse caso, o que esta em paralelo as doenças psiquiátricas, pois este incapacitado de tomar decisões não saberia ou aceitaria que precisa de auxilio espiritual

2º caso – O que fazemos em nossos trabalhos é entender que temos obrigação moral com nossos familiares, marido ,filhos etc. Eu sigo a frase de SAINT EXUPERY, no LIVRO PEQUENO PRÍNCIPE, AONDE ELE APRENDE QUE É RESPONSÁVEL POR TUDO QUE CATIVAS. Então se acabamos envolvidos em algo que precise desse auxilio em nossa família, vamos atender até que essa pessoa tenha condições de fazer suas próprias escolhas.

3º caso – Atender alguém para ele mudar na expectativa do que EU quero, não atendemos, o que acontece muito em relacionamentos amorosos, eu até brinco que NÃO TRAZEMOS A PESSOA AMADA EM 3 DIAS, por isso temos uma ficha de avaliação inicial que a pessoa preenche antes de ser atendida para separar o que podemos ajudar ou o que precisa ser encaminhado á um médico,psiquiatra ou terapia de casal, explicamos que há coisas espirituais e questões humanas, e que precisamos saber diferenciá-las.

Facebooktwitter