• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

ESTUDOS CIENTÍFICOS SOBRE A EFT

ESTUDOS CIENTÍFICOS SOBRE A EFT

Facebooktwitter
Conheça os estudos científicos que explicam a eficácia da EFT
por Carlos Harmitt – Terapeuta EFT e editor do Transformação Sistêmica
Para entendermos a ciência por trás da EFT temos de explorar as novas fronteiras do conhecimento científico sobre a interação mente/corpo. Recentes descobertas científicas têm apoiado a idéia da forte interação entre mente, corpo e emoções. Cada vez mais os cientistas estão se rendendo aos efeitos quase milagrosos de determinadas terapias, e as técnicas de Acupuntura e Acupressura, como a EFT, passaram a ganhar destaque porque  abrangem novas áreas de pesquisa como: estudos de anatomia microscópica do corpo, epigenética, psiconeuroimunologia e plasticidade cerebral.

Vamos examinar cada uma delas.
 
 Estudos Científicos sobre a EFT
 
Anatomia microscópica do corpo
Você já ouviu falar de canais de Bonghan?  Na década de 1960, o cientista norte-coreano Kim Bonghan publicou trabalho revelando a existência de canais microscópicos esparramados pelo corpo cuja localização coincide com os meridianos da Medicina Chinesa utilizados na Acupuntura. Embora os estudos de Bonghan tenham sido confirmados pelos cientistas japoneses Fujiwara e Yu, em 1967, eles foram rechaçados pela comunidade científica.
Recentemente, entretanto, vários cientistas em diferentes países (E.U.A, Rússia, Japão e Coréia), utilizando técnicas com marcadores radioativos, conseguiram identificar no corpo humano o que eles chamam estruturas anatômicas microscópicas filiformes, ou seja, uma rede de canais microscópicos exatamente igual a descrita por Bonghan.
Os meridianos da Acupuntura deixaram de ser linhas imaginárias e passam, agora, a ser considerados elementos microscópicos da anatomia humana ainda pouco conhecidos. Estes canais têm sido encontrados dentro dos vasos sanguíneos e linfáticos, formando uma rede que se estende pelos órgãos internos.
bogan
Quando os cientistas injetam marcadores radioativos nos pontos de Acupuntura, a radiação segue o caminho exato do meridiano da Medicina Chinesa relacionado a aquele ponto. Também foi comprovado em experimentos que a estimulação nos pontos de Acupuntura, seja por agulha ou pressão, causa alívio de dores além do que é causado por medicação.
Esses estudos revelam os mecanismos físicos pelos quais a Acupuntura e a EFT operam seus excelentes e impressionantes resultados.
 
 
Epigenética
Você acredita que seus genes podem “ler” seus pensamentos?  A nova faceta da Biologia, a Epigenética, tem comprovado que nossas células respondem às condições do ambiente externo alterando a configuração do DNA. Ocorre uma alteração do dinamismo do DNA, sendo que certos genes podem ser ligados ou desligados, dependendo de certo fatores do ambiente externo.
Muito mais que isso, nossos genes também respondem às condições do ambiente interno. Eles são sensíveis aos nossos pensamentos, crenças e sentimentos. Isso quer dizer que quando mudamos nossas crenças e sentimentos algumas alterações biológicas podem ocorrer em nosso corpo. O Dr. Bruce Lipton, autor do livro “A Biologia da Crença” e pioneiro no campo da Epigenética diz que temos um imenso poder de influenciar nossa saúde e bem estar por meio da classe de pensamentos e sentimentos que cultivamos com frequência.
É tudo o que a EFT e outras terapias holísticas vem defendendo.
 
Psiconeuroimunologia (PIN)
É o estudo da relação entre as emoções e nosso sistema imunológico, ou seja, como nossos pensamentos e sentimentos nos tornam mais ou menos suscetíveis a determinadas doenças.
o Dr. Candace Pert é outro cientista que defende a EFT, pois seus estudos com os receptores específicos de neuropeptídios têm comprovado que os componentes do stress – ansiedade, medo, raiva, tristeza – enfraquecem o sistema imunológico, interferindo negativamente nos tratamentos e gerando doenças. Para termos saúde e bem estar, precisamos ser capazes de efetivamente liberar as emoções que causam estresse e buscar um estado de equilíbrio. Isso é exatamente o que a EFT produz.
 
Plasticidade cerebral
Já tem algum tempo que os cientistas sabem que o cérebro tem a capacidade de criar novos caminhos neurais e estabelecer novas conexões quando estimulado a isso. Essa capacidade do cérebro de alterar sua estrutura é o que se chama plasticidade cerebral. Estudos recentes comprovam que pensamentos, sentimentos, aprendizados mudam a estrutura física e a organização do cérebro. Quando dizemos que com a EFT mudamos os nossos padrões de pensamentos, sentimentos e comportamentos, o que estamos indicando é que realmente ocorrem mudanças estruturais no cérebro capazes de apoiar nossa cura, alterando perspectivas e possibilitando novas crenças mais habilitadoras. A EFT nos permite gerar criatividade e promove mudanças cognitivas significativas que afetam positivamente nossa forma de se relacionar com as pessoas e com as situações. Afinal, saúde e bem estar são produtos de um cérebro eficiente e equilibrado.
Estamos vivendo Uma nova era do conhecimento científico na qual possibilidades nunca antes imaginadas estão sendo reveladas. A EFT é uma dessas revelações e o seu estudo científico não só trará comprovações sobre a interação mente/corpo/emoções bem como revelará conceitos sobre nossa forma de produzir saúde que reformulará a medicina como a conhecemos.    http://transformacaosistemica.com.br/estudos-cientificos-sobre-a-eft/
Facebooktwitter