• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

FILA DE ESPÍRITOS CANDIDATOS À REENCARNAÇÃO NA TERRA

FILA DE ESPÍRITOS CANDIDATOS À REENCARNAÇÃO NA TERRA

Facebooktwitter
FILA DE ESPÍRITOS CANDIDATOS À REENCARNAÇÃO NA TERRA

FILA DE ESPÍRITOS CANDIDATOS À REENCARNAÇÃO NA TERRA

FILA DE ESPÍRITOS CANDIDATOS À REENCARNAÇÃO NA TERRA

FILA DE ESPÍRITOS CANDIDATOS À REENCARNAÇÃO NA TERRA

 

FILA DE ESPÍRITOS CANDIDATOS À REENCARNAÇÃO NA TERRA

FILA DE ESPÍRITOS CANDIDATOS À REENCARNAÇÃO NA TERRA

A Terra é uma escola de educação espiritual, um curso primário que abrange o período de 28.000 anos do calendário terreno, para a necessária alfabetização dos seus alunos. O corpo carnal significa o banco escolar, que o espírito se utiliza para frequentar esse curso físico terreno, enquanto o maior número de corpos gerados aumenta as probabilidades para a admissão de novos alunos.


Além dos bilhões de espíritos, que atualmente freqüentam a escola terrena compondo a sua humanidade atual, ainda existe, no Espaço, em torno da Terra, uma carga espiritual de 20 bilhões de almas desencarnadas. Dez bilhões desses espíritos ainda podem permanecer equilibrados e tranqüilos, no Espaço, alguns quinhentos anos, outros mil ou mais, sem aflições ou necessidade de breve reencarne físico.

Os outros dez bilhões, no entanto, precisam de renascimento imediato, pois são entidades cuja capacidade vibratória já se exauriu no ambiente sideral e as tornam desajustadas ou frustradas na freqüência superior do mundo espiritual. Esses espíritos, em sua maioria, sentem-se desesperados, melancólicos e infelizes, embora usufruindo de panoramas e condições agradabilíssimas, tal é a sua saturação emotiva e esgotamento psíquico. Embora pareça um paradoxo ou excentricidade, eles trocariam imediatamente o ambiente de venturas pelo prazer das emoções grosseiras no mundo carnal. Lembram o bugre, que em vez das atrações ruidosas e o encanto das metrópoles festivas, ele prefere voltar para a floresta anti-higiênica e selvática, e o caboclo, que não troca a sua modinha caipira pela majestosa sinfonia “Coral” de Beethoven.

O mundo carnal ainda exerce forte atração nesse tipo de espíritos primários e demasiadamente condicionados aos prazeres e sensações físicas, que não puderam libertar-se em vidas anteriores. São algo como os macacos, que não trocam a mata e as bananas pela calda de pêssegos em pratos dourados!
Quanto a um terço desses dez milhões de espíritos, que necessitam urgentemente de corpos para renascerem fisicamente, constitui-se de entidades de baixa graduação espiritual, numa grande percentagem satânica, habitantes do astral inferior, maquiavélicos, impiedosos e vingativos! Jamais perdoarão aos encarnados que lhes negam os corpos prometidos antes de se encarnarem; são almas primárias e grandes pecadoras!

Serve-lhes qualquer corpo, a fim de poderem mergulhar a consciência na carne e livrarem-se do remorso torturante; a carne significa-lhes a esponja que apaga o passado e permite o recomeço proveitoso e sem frustração! Enfim, são dez bilhões de espíritos terrícolas, que transportam com freqüência, para o Além-Túmulo os seus problemas mentais e emotivos, frutos de desequilíbrios e desregramentos físicos.

São uma espécie de árvores vivas, cuja copada aflora ao céu, mas suas raízes atolam-se na lama! Enfermos de todos os tipos, uns entediados na atmosfera superior por falta de treino angélico; alguns, alucinados, arrependidos ou atolados pelo remorso nas sombras do astral inferior; e outros, nos charcos, ainda submetidos ao sofrimento purificador! Porém, almas infelizes, desesperadas e arrastadas pelo magnetismo carnal, famintas de um corpo redentor!

DO LIVRO: “A Vida Humana e o Espírito Imortal” Ramatís/Hercílio Maes – EDITORA DO CONHECIMENTO.

Facebooktwitter