• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

MAIS TREZE TOQUES CONSCIENCIAIS DA COMPANHIA DO AMOR*

MAIS TREZE TOQUES CONSCIENCIAIS DA COMPANHIA DO AMOR*

Facebooktwitter

(Falando, Na Lata, Sobre Aquelas Coisas Quer Ninguém Quer falar)

 

  1. Quem navega por mares de fantasia, termina por transformar o próprio coração em “Titanic emocional”.

 

  1. Que coisa medonha é ver algum estudante espiritual chorando mais do que materialista diante de uma perda. Nem parece que tem esclarecimento sobre as coisas (e ainda envergonha a espiritualidade com tal postura bisonha).

 

  1. Coração não é latrina emocional!

 

  1. O machão dessa vida poderá ser uma donzela na próxima vida… e, aí, talvez, sob a ação do Dr. Carma** e da Dona Reencarnação, quem sabe, aprenda a não cometer violência contra mulheres.

 

  1. Tá aí um troço que não dá para entender: como pode alguém de coração miserável sonhar com um Grande Amor?

 

  1. Ser medíocre é fácil: é só se deixar levar e não reagir contra as próprias sandices, e ainda se achar o máximo e que está certo em tudo. E o mundo está cheio de gente assim (e depois perguntam porque rola tanta coisa pesada por aí…)

 

  1. Rir do próprio ridículo é um santo remédio!

 

  1. Quem tem medo de espíritos deveria é ter medo de si mesmo, pois também é um espírito (e quem não é?)

 

  1. Técnica para “levar fumo”: fazer o mal para os outros e achar que o Dr. Carma não está vendo e computando as coisas. Muitos escapam das leis dos homens, mas não escaparão de si mesmos e nem das consequências cármicas de seus atos terríveis.

 

  1. Apelido do Dr. Carma entre o nosso pessoal: “Dr. Trolha”.

(E quem aprontar, levará aquela “trolhada”. E dói, como dói…)

 

  1. Apelido para quem faz coisa ruim: “Mané”.

(Mas “babaca” também cai bem).

 

  1. Amor: palavra de quatro letras que abre as portas do coração para o Infinito…

(E quem garante isso é o Papai do Céu, o Dono do Infinito).

 

  1. O Ministério da Saúde Espiritual adverte: quem não ri tem problema mental sério (ou tem bicho de pé; ou, simplesmente, é “bolado” mesmo).

 

P.S.:

Esses são os toques conscienciais de uma noite fria… e quem for esperto (e desperto), certamente ponderará sobre tudo isso. E tirará ilações pertinentes ao seu próprio caso (pois é isso que pessoas inteligentes fazem).

Ninguém sabe tudo (muito menos nós).

E só o Papai do Céu é que sabe tudo.

Ele é o Cara, né?

(Vamos nessa, que é bom à beça!)

 

– Companhia do Amor***

A Turma dos Poetas em Flor.

(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – 28 de maio de 2016, madrugada de sábado para domingo.)

 

– Notas:

* A primeira parte desse texto está postada no site do IPPB, no seguinte link:

http://www.ippb.org.br/textos/1491-treze-toques-conscienciais-da-companhia-do-amor

** Carma – do sânscrito, karma – ação; causa – é a lei universal de causa e efeito – tudo aquilo que pensamos, sentimos e fazemos são movimentações vibracionais nos planos mental, astral e físico, gerando causas que, inexoravelmente, apresentam seus efeitos correspondentes no universo interdimensional. Logo, é óbvio que não há efeito sem causa, e os efeitos procuram naturalmente suas causas correspondentes. A isso os antigos hindus chamaram de carma.

*** A Companhia do Amor é um grupo de escritores e poetas extrafísicos brasileiros que me passa textos bem divertidos e despojados. Seu objetivo desse grupo é mostrar que não existe apenas vida após a morte, mas também muita Alegria e Amor.

Como seus textos são direcionados a população urbana, e eles não têm a menor pretensão de se passar por sábios espirituais, e nem estão compromissados com nenhuma linha espiritualista, seus toques são sempre cheios de galhardia e visam a espetar o raciocínio das pessoas com tiradas criativas e bem humoradas.

O leitor mais atento (e despojado de “bitolas doutrinárias” de algum tipo), notará sérios questionamentos embutidos em suas brincadeiras. Muitas vezes, é brincando que se dizem as verdades mais sérias.

Em sua grande maioria, são poetas e muito bem humorados. Segundo eles, seus escritos são para mostrar que os espíritos não são nuvenzinhas ou luzinhas piscando em um plano espiritual inefável.

Eles querem mostrar que continuam sendo pessoas comuns, apenas vivendo em outros planos, sem carregar o corpo denso.

Os seus textos são simples e diretos, buscando o coração do leitor.

Para mais detalhes sobre o trabalho dessa turma maravilhosa, ver os livros “Companhia do Amor – A Turma dos Poetas em Flor – Volumes 1 e 2” – Edição independente – Wagner Borges, e sua coluna no site do IPPB (que é uma das seções mais visitadas no site): http://www.ippb.org.br/textos/companhia-do-amor

 

 

Facebooktwitter