• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

MULHER-KARUNA – II

MULHER-KARUNA – II

Facebooktwitter

Wagner Borges

Ela veio deslizando em cima de um grande lótus branco…

E uma onda de Amor me tomou por inteiro.

Eu não a via com os olhos da carne, mas com meu coração.

Ela nada me disse, só me amou.

E eu, homem feito, chorei igual criança no colo da mãe…

E minhas lágrimas se tornavam pétalas luminosas.

Diante d’Ela, eu era um menino.

Ela tinha um olhar tão lindo, de pérola espiritual.

Sim, a Karuna* infinita estava ali, em forma de mulher oriental…

Ela, a doce Kuan-Yin, a Mãe silenciosa e amorosa.

Ela, que cingiu o meu chacra cardíaco na Luz de um Grande Amor.

Ela, que nada me disse, só me amou.

Ela, Mulher-Karuna.

 

P.S.:

Ela.

Mãe.

Amor.

Silêncio.

Compreensão.

Kwan-Yin**.

 

Om Namo Kwan Shi Yin Pusa!***

 

– Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.

São Paulo, 13 de maio de 2016.

 

– Notas:

* Karuna – do sânscrito – compaixão; ação compassiva.

** Na mitologia chinesa, Kwan-Yin é conhecida como a Deusa da Compaixão e da Misericórdia.

*** Ver a linda versão da vocalista malaia Imee Ooi para esse mantra de Kwan-Yin, no seguinte link:  https://www.youtube.com/watch?v=Gq87sXid_Yo

E mais essa versão aqui: https://www.youtube.com/watch?v=-Zv11StRyRY

Obs.: Deixo, na sequência, a primeira parte desse texto.

 

MULHER-KARUNA

 

Ah, como é bela essa Mulher-Karuna.

Quando Ela desliza pelo ar, até mesmo os seres trevosos são tomados de puro Amor.

O seu perfume espiritual dilui os piores odores e a sua compaixão faz brilhar até mesmo os corações mais endurecidos.

De suas mãos emanam lírios brancos e lótus azuis…

Essa Mulher-Om Mani Padme Hum viaja sutilmente pelo espaço sutil dos sentimentos dos homens.

Deem-lhe o nome que desejarem, mas, para o meu coração, Ela é Om Mani Padme Hum em forma de mulher.

 

P.S.:

Quando a mãe da compaixão chega, abrem-se as portas dos nove mundos siderais.

Seu nome sagrado é Kwan-Shi-Yin, pura Luz bondosa.

Em sua presença, os maus retraem-se e suas flechas trevosas são diluídas em pleno voo.

Ó, Querida Kwan-Yin!

Abençoe esses filhos da terra.

Transforme essa gritaria de nossos egos em lindas canções de Amor e Paz.

Senhora da compaixão, derrame o néctar da Luz em todos nós.

Cure as feridas dos homens, de corpo e espírito.

Ó Mãe de todos, toque em nossos corações e leve-nos ao Amor incondicional.

Kwan-Shi-Yin, Om Mani Padme Hum!

 

Paz e luz.

 

– Wagner Borges – aprendiz da arte de viver…

Facebooktwitter