• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

O RECADO ESPIRITUAL DO SENHOR DE OLHOS DE LÓTUS

O RECADO ESPIRITUAL DO SENHOR DE OLHOS DE LÓTUS

Facebooktwitter

       (Conversando com Arjuna-Narananda na Casa Secreta do Coração)

Wagner Borges –

“Eu vim ao mundo…

Para inspirar a sua jornada.

Eu sou o Eterno feito homem…

Para estar junto de você.

Eu sou o Amor que vem do Alto…

Para alegrar o seu viver.

Eu coloquei a estrela prânica (1) sobre sua cabeça…

Para guia-lo na senda.

Eu sou aquele com o qual você sonhava quando criança…

E, agora, estou aqui, no campo da vida com você.

Eu sou o raio de Luz que ilumina a sua história…

E, por muitas vidas, você me sentirá em seu coração.

Eu sou o azul do céu em seus chacras (2)…

Para que a sua aura seja linda.

Eu sou o sol espiritual que dissolve as trevas da ignorância…

Para que os seus olhos tenham o brilho de Ananda (3).

Eu sou a inspiração dos Rishis (4)…

Que viajam nas ondas do samadhi (5) pensando em Mim.

Eu sou o Senhor do Darma (6)…

E é por isso que você trabalha no mundo sob a Minha Guarda.

Eu estou aqui com você…

Na Força do Espírito!

Eu sou o arco espiritual…

E você é uma de minhas setas cravadas no materialismo do mundo.

Eu sou o seu Senhor…

E você é o meu emissário querido.

Eu sou o Ser…

E, por onde você for, eu sempre estarei em seu coração.”

 

P.S.:

Essas foram as palavras de Krishna para Arjuna-Narananda (7), o seu discípulo-arqueiro. Elas ficaram registradas no éter planetário.

Hoje, milhares de anos depois, elas continuam reverberando nos corações dos homens de boa vontade… e, assim como outrora, eles compreendem.

Eles vivem e sentem o azul do céu em seus chacras.

Eles sabem que a vida continua além da matéria…

Eles amam a Krishna (8)… e são amados por Ele.

Ah, como eles compreendem…

 

(Dedicado a todos aqueles que sentem algo bom só de pensar no nome de Krishna, o Senhor de Olhos de Lótus.)

Hare Om.

 

– Wagner Borges – mestre de nada e discípulo e coisa alguma.

São Paulo, 4 de maio de 2016.

 

– Notas:

  1. Estrela Prânica – do sânscrito, prana – a força vital; a energia – no contexto iogue é a estrela espiritual, manifestação do plano divino.

Obs.: Para melhor compreensão dos leitores  sobre isso, sugiro a leitura desses dois textos:

– “Na Luz de Krishna – O Amor em Ação”, postado no seguinte link:

http://www.ippb.org.br/textos/textos-periodicos/1454-na-luz-de-krishna-o-amor-em-acao

– “A Canção das Estrelas-Bebês”, postado no seguinte link:

http://www.ippb.org.br/textos/textos-periodicos/435-a-cancao-das-estrelas-bebes

  1. Chacras – do sânscrito – são os centros de força situados no corpo energético e têm como função principal a absorção de energia – prana, chi – do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico.

Os principais chacras são sete, que estão conectados com as sete glândulas que compõem o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico.

Obs.: Ver o texto “Chacras e Cura Psíquica – II”, no seguinte link do site do IPPB: http://www.ippb.org.br/bioenergia/chacras-e-cura-psiquica-ii

         (E, para mais informações detalhadas sobre bioenergia, aura e chacras, ver a seção específica no site do IPPB, no seguinte link: http://www.ippb.org.br/bioenergia).

  1. Ananda – do sânscrito – estado de bem-aventurança; êxtase espiritual.
  2. Rishis – do sânscrito – sábios espirituais; mestres da velha Índia; mentores dos Upanishads.
  3. Samadhi – do sânscrito – expansão da consciência; estado de consciência cósmica.
  4. Darma – do sânscrito, dharma – dever, missão, programação existencial, mérito, bênção, ação virtuosa, meta elevada, conduta sadia, atitude correta, motivação para o que for positivo e de acordo com o Bem comum.
  5. Narananda – do sânscrito, nara, o homem; ananda, estado de Bem-Aventurança espiritual – é um dos epítetos de Arjuna, discípulo de Krishna e considerado como o homem portador da Bem-Aventurança e da boa nova celeste entre os homens.

Dentro do contexto iniciático oriental, trata-se de alguém ligado às vibrações de Krishna e, portanto, também repassador das luzes do esclarecimento espiritual entre os homens. Ou seja, todos os trabalhadores espirituais ligados à bem-aventurança de Krishna são considerados como seus Naranandas (portadores das ideias e valores associados à imortalidade da consciência).

Resumindo: quem estuda e trabalha nas lides espirituais é um Narananda, pois sabe que o espírito é eterno e nada pode feri-lo, nem a água pode molhá-lo ou afogá-lo, nem fogo pode queimá-lo. Portanto, quem está firme no darma, é também um Narananda!

Obs.: Ver o texto “Há Algo Mais… Um Amor, Uma Luz – Parte LXXXVI”, postado no seguinte link do site do IPPB:

 http://www.ippb.org.br/textos/1410-ha-algo-mais-um-amor-uma-luz-lxxxvi

  1. Krishna – o maior dos avatares (emissários divinos) entre os hindus. O mestre de Arjuna, conforme narrado no “Bhagavad-Gita” (“A Canção do Senhor”, parte essencial do épico “O Maha-Bharata”).

 

Facebooktwitter