• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

VIAJANDO ESPIRITUALMENTE NAS RISADAS CURATIVAS – IV*

VIAJANDO ESPIRITUALMENTE NAS RISADAS CURATIVAS – IV*

Facebooktwitter

Wagner BORGES – WWW.IPPB.ORG.BR – (Quando os Bodhisattvas Riem e Curam as Feridas dos Corações)

Eu fecho os olhos e vejo você.
E escuto suas risadas…
Ecoando na câmara secreta do meu coração.

E eu sinto uma reverência que não sei explicar.
Então, as pétalas das flores de lótus começam a cair aqui…
E elas são rosadas e gentis – como uma carícia graciosa.

Ah, eu vejo, sim. E sinto.
A compaixão que abraça o mundo é tão serena e profunda…
E só pode ser percebida nas luzes do espírito.

Eu também vejo você batendo palmas e brincando.
E eu sei que você está despertando consciências, algures…
E a sua alegria brota de suas mãos como pétalas de flores.

Ah, o Amor não tem fronteiras…
E eu sempre vejo você tão contente.
E sei que os seus irmãos também são assim.

Quando você ri, parece o ribombar de um trovão.
Contudo, no seu olhar está a serenidade silenciosa e terna.
E nas suas mãos, as pétalas rosadas.

Meu amigo, você está aí nessa caverna de cristal, cheia de risadas**
É uma caverna de Bodhisattvas*** – de onde o Amor é vertido para o mundo…
E de onde você e seus irmãos velam pela humanidade.

E nas risadas de vocês, a assistência espiritual desce à Terra.
E vocês nada julgam – e nem aparecem -, só riem e trabalham.
E aqui embaixo, no seio do mundo, eu sinto suas presenças.

E eu sei que outros também sentem – e escutam suas risadas…
Porque o Amor fala somente ao coração – e quem ama, escuta.
E uma rede espiritual se forma, invisível e silenciosa, amando a tudo.

O mundo não vê. E isso não importa. Mas alguns sabem…
Porque o Amor é maior do que tudo – e os corações se sentem.
E não há distância nisso; é sintonia espiritual – serena e amiga.

Ah, meu amigo, as pétalas continuam caindo aqui, tão generosas…
E o meu lar se torna parte de sua caverna – de coração a coração.
E eu só quero ficar aqui, bem quietinho, viajando nas suas risadas.

Porque eu sei que a Luz do Buda** inspira a você.
E o Amor sereno e incondicional faz a noite virar sol.
Sim, faz o lar da gente virar um Grande Coração no seio do mundo.

Ah, Bodhisattva da risada de trovão e das palmas…
As pétalas continuam caindo aqui.
E eu não sei mais o que dizer.

P.S.:
Lá no Céu, na caverna de cristal,
Os Bodhisattvas riem e curam.
E eles fazem isso por sua própria alegria.
E batem palmas… E irradiam a Luz.
E as pétalas caem no mundo dos homens tristes.
E, por onde elas vão, a noite vira sol.
E mesmo nos rincões mais escuros, o Amor acontece.
Na Terra, ou no Astral, eles curam homens e espíritos.
E fazem isso rindo e batendo palmas…
Porque a Luz do Buda os inspira.
E eu apenas vejo e escrevo, e me encanto.
Porque o poder curativo de uma risada é tremendo!
Assim como a gentileza das pétalas…

Om Mani Padme Hum!***

Paz e Luz.

– Wagner Borges – só gratidão…

– Notas:
*As três partes anteriores desse texto estão postadas no site do IPPB – www.ippb.org.br -, nos seguintes endereços específicos:
Partes I e II (no mesmo link): http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=5634:843-viajando-espiritualmente-nas-risadas-curativas-ii&catid=31:periodicos&Itemid=57
Parte III:
http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=10258:1066-viajando-espiritualmente-nas-risadas-curativas-iii&catid=31:periodicos&Itemid=57
** Por diversas vezes, ao longo dos anos, eu vi esse lugar extrafísico, que é a sede espiritual de um grupo de seres de luz que opera sutilmente nas vibrações dos ensinamentos do Buda. Trata-se de um ambiente plasmado extrafisicamente na forma de uma imensa caverna de cristal. É cheio de galerias luminosas e de seres de luz meditando e operando secretamente a favor do mundo. Normalmente, são vistos de olhos fechados e expressão serena, viajando nas asas da meditação. Mas, quando algum deles abre os olhos, imediatamente começa a rir… E, aí, rolam energias indescritíveis e assistências espirituais profundas e transformadoras.
Em diversas ocasiões recebi orientações extrafísicas desses seres amigos. A principal delas se refere a não valorizar demais as coisas, pessoas e fatos, pois a característica básica da vida na Terra é a impermanência. Por aqui, nada é para sempre, tudo passa, inclusive o próprio corpo físico.
Então, apegos, manhas, magoazinhas e tranqueiras emocionais são um desperdício de energia e possibilidades de pensar e sentir algo melhor. E eles sempre me falaram o seguinte: “ria mais, principalmente de si mesmo. E não encrenque com nada. E se for necessário, faça cócegas no próprio pé, mas não perca a oportunidade de rir. Há grande poder de cura nas risadas. Por isso, nós rimos; e você também ri… E tudo melhora. E, aí, o Buda floresce no coração. E Ele se parece com um criança feliz, cheia de pétalas de flores em torno”.
Pois eu agradeço muito a esse grupo de amigos extrafísicos e espero ainda rir muito com eles, por aí…
* Boddhisattvas – do sânscrito – são aqueles seres bondosos que estão perto de se tornarem Budas ou Iluminados. Para facilitar a explicação, podemos dizer que eles são canais espirituais ou avatares conscientes do amor de todos os Budas.
** Buda – do sânscrito – O Iluminado; Aquele que despertou! Palavra derivada de “Buddhi”, que significa “Iluminação Pura” ou “Inteligência Pura”. Ou seja, quem alcança o estado de Buddhi, torna-se um Buda, um ser iluminado e desperto.
*** Om Mani Padme Hum – do sânscrito – sua tradução literal é: “Salve a joia no lótus”. Esse é um mantra de evocação do boddhisattva da compaixão entre os budistas tibetanos e chineses. Om é a vibração do TODO. Mani é a “Joia espiritual que mora no coração”; ou seja, é o próprio Ser, a essência divina. Padme / Lótus é o chacra cardíaco que envolve, energeticamente, essa joia sutil. Hum é a vibração dessa compaixão do TODO vertendo a luz pelo chacra cardíaco em favor de todos os seres.
Esse mantra é mais conhecido como o “mantra da compaixão”. É um dos mantras mais poderosos que conheço. Pode ser concentrado, mentalmente, dentro do peito – como se a voz mental estivesse reverberando ali –, ou dentro de qualquer um dos chacras que a pessoa desejar ativar. No entanto, o melhor lugar para ele é realmente o chacra cardíaco, pois o que chega ali é distribuído para todo o corpo, pela circulação do sangue comandada pelo coração, e também a todos os outros chacras do corpo energético.
O chacra frontal, na testa, também é excelente para a prática desse mantra, pois o que chega nele é distribuído ao longo da coluna pelos nádis – condutos sutis de transporte energético pelo sistema –, e comunicado a todos os outros chacras abaixo dele. Esse é o motivo pelo qual vários mestres iogues sempre aconselham os seus discípulos a iniciar alguma prática bioenergética por ele.

 

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *