• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

VIAJANDO ESPIRITUALMENTE PELA CABELEIRA DE SHIVA*

VIAJANDO ESPIRITUALMENTE PELA CABELEIRA DE SHIVA*

Facebooktwitter

(Surfando com Ramakrishna nas Ondas do Infinito Imanente…)

 

Você me falou de um lugar maravilhoso…

            Onde os seres celestes gostam de voar e brincar.

            E eu descobri que isso era em meu próprio coração.

 

            Então eu ouvi uma linda canção…

            Que falava de estar presente numa grande magia.

            E essa magia era o Amor.

 

            Mais clara que a aurora, foi a Luz que eu vi…

            Mas os meus olhos estavam fechados.

            Era a Luz do Samadhi!**

 

            Então você me chamou para dançar com as estrelas…

            E me falou das lições do Mahadeva***.

            E eu, admirado, entrei nas pistas do Infinito.

 

            Viajei sem sair do lugar, nas ondas de um Grande Amor…

            E vi miríades de planos e dimensões desdobrando-se à minha frente.

            Ah, eu singrei os mares siderais numa nave de ananda****.

 

            E você novamente me falou d’Ele, o Senhor das energias…

            E me ensinou que o Vento do Supremo sopra por onde quer.

            Então eu percebi que viajava pela Cabeleira Cósmica d’Ele.

 

            Sim, o tecido sideral era o seu couro cabeludo…

            E nos fios de seus cabelos estavam todas as estrelas e seres.

            E eu também estava ali, admirado com tudo.

 

            Ah, você me falou da Risada Cósmica d’Ele…

            E me disse para rir também, com gosto e consciência.

            E eu me senti igual criança olhando o Infinito.

 

            Sim, meu amigo, você me falou da Ananda de Shiva

            E, em Espírito e Verdade, eu cantei o Mantra do Mahadeva:

            “Om Namah Shivaya, Om Namah Shivaya, Om Namah Shivaya…”

           

            Você me ensinou a valorizar tudo o que é da Luz…

            E também a sentir o toque de Shiva em meu coração.

            O toque que faz ver estrelas sem abrir os olhos.

 

            Você, que tanto viajou nas ondas do Samadhi

            E que continua me guiando pela senda espiritual e humana.

            Você, que tocou em meu peito e me ensinou a viajar pelos cabelos de Shiva.

 

            (Dedicado a Paramahamsa Ramakrishna*****, grande surfista cósmico, que continua rindo e viajando espiritualmente pela cabeleira de Shiva, o Mahadeva.)

 

            Om Namah Shivaya!

Paz e Luz.

 

            – Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.

            São Paulo, 14 de abril de 2014.

 

            – Notas:

            * Shiva – do sânscrito – no Hinduísmo, O Divino é representado em três aspectos fenomênicos em sua manifestação vital: Brahma (O Criador), Vishnu (O Preservador) e Shiva (O Transformador).

Normalmente Shiva é traduzido como o Destruidor Divino, pois é por sua ação que ocorre a transformação dos elementos, energias e consciências. Aquilo que é criado e preservado, um dia morrerá, para poder renascer e seguir o fluxo evolutivo. No entanto, nada no universo morre realmente, só há mudança de plano e padrão vibracional. A energia não nasce e nem morre, só é transformada.

Shiva é o representante divino dessa transformação inexorável de todas as coisas. Ele também é conhecido como “Nataraja”, o Divino Dançarino. Ele dança na luz e faz a roda da existência mover-se no infinito. Por isso, Ele sempre é associado a eventos de transmutação interdimensional e consciencial.

O mantra dessa ação transformadora de Shiva é “Om Namah Shivaya” (que é um dos mantras mais populares da Índia).

Obs.: Para melhor compreensão sobre as vibrações de Shiva, ver o texto “Shiva – O Mahadeva”, postado no site do IPPB, no seguinte endereço específico:http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=4681

(Nas notas desse texto está postada uma coletânea de textos relativos à Shiva, postados antes como textos periódicos do site ao longo dos anos – www.ippb.org.br).

** Samadhi – expansão da consciência; estado de consciência cósmica.

            *** Mahadeva: Maha: Grande, Vasto, Imenso – Deva: Divindade, Ser Celestial.

            Logo, Mahadeva significa “Grande Divindade”; “Grande Ser Celestial”; “Grande Deus”. É um dos epítetos de Shiva.

            **** Ananda – do sânscrito – estado de Bem-Aventurança espiritual.

            ***** Paramahamsa Ramakrishna: mestre iogue que viveu na Índia do século XIX e que é considerado até hoje um dos maiores mestres espirituais surgidos na terra do Ganges. Para se ter uma idéia de sua influência espiritual, posso citar que grandes mestres da Índia do século XX se referiram a ele com muito respeito e admiração, dentre eles o Mahatma Ghandi, Paramahamsa Yogananda e Rabindranath Tagore.

Obs.: Enquanto eu escrevia essas linhas, rolava aqui no meu som a linda canção “Upton Heath” – faixa 8 do CD “English Eletric – Vol. 1” – da banda inglesa de rock progressivo Big Big Train (grupo excelente, com o som baseado no Genesis da década de 1970). Então, para quem quiser conhecer o som deles, deixo na sequência o link dessa música no site do Youtube (e também os links de outras quatro músicas, de discos variados).

Big Big Train:

– “Upton Heath”

http://www.youtube.com/watch?v=N1KCn7YqV6w

– “Last Train”

http://www.youtube.com/watch?v=DfCMX6iMcZM

– “Make Some Noise”

http://www.youtube.com/watch?v=wKe1FdztHGM

– “Evening Star”

http://www.youtube.com/watch?v=6NohOHpOzD0

– “Winchester Diver”

http://www.youtube.com/watch?v=T1pYICCUpKw

 

Facebooktwitter