• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

Devo procurar outra Casa Apométrica?

Devo procurar outra Casa Apométrica?

Facebooktwitter

Diálogo de Facebook de vários colegas da Deise, inclusive Dalton.

Se acho que a casa (Apometrica, umbandista ou kardecista) que trabalho não me atende como mereço,ou não está resolvendo meu caso, devo procurar atendimento em outra casa, não falar nada e continuar trabalhando na casa normalmente?

Infelizmente as pessoas hoje tem pressa em resolver seus problemas e acha que tudo se resolve de um dia pro outro!Mas as vezes essas mesmas pessoas se esquecem que pra tudo a seu devido tempo.Então não culpe o centro por achar que ele não está respondendo suas expectativas e sim cale-se e observe.Passar trocando de casa em casa não vai ajudar.Temos que ter fé e paciência que tudo no tempo de Deus as coisas começam a surgir.

Sempre saliento, qdo chegar nossa hora até um copo de agua posto na frente da tv, assistindo os programas de auxilio das emissoras Evangelicas( conhecidas por auxiliarem com essas orações na madrugada,hora essa aonde os deseperados precisam de um alento), desvenciliam carmas de alta complexidade, nossos mentores sempre nos fornecem auxilio QDO É CHEGADA A HORA.

Isto levanta outras perguntas antes de responder especificamente a questão.

Como avaliar um atendimento em Apometria? Levanto perguntas e não tenho respostas prontas, deixo para vocês que estão com a “barriga no balcão”:

1. O pré-atendimento fez uma boa entrevista? Teve privacidade? Foi atendido com calma ou em série?

2. O atendido recebeu instruções sobre leituras obrigatórias?

3. Foi CLARAMENTE instruído sobre o comprometimento com a autocura em função do carma pessoal e a questão da reforma íntima?

4. O grau de instrução e o nível de conhecimento “espiritualista” também foi verificado para avaliar o entendimento do processo de Apometria?

5. O atendimento inicial em “salas de passe” / tratamento / correlatos foi visitado sem falhas pelo atendido?

Uma vez avaliado o comportamento e o grau de discernimento do “paciente”, então poderemos procurar avaliar as mesas de atendimento e o grupo como um todo em geral, sempre de forma relativa, flexível e contextualizada.

Dificilmente nós temos dificuldades com “os pacientes da casa” [Deise], geralmente os problemas veem dos trabalhadores, pelo que sei (em nossa casa isso raramente acontece hoje, já que todos ou quase todos estudaram apometria e espiritualidade), mas realmente vejo que o nível de conhecimento dos colegas que fazem isso, é bem pouco, ou são teimosos demais pra aceitar o que o carma lhes reserva.

Nós temos ficha de avaliação após 3 passes, essa ficha nos deixa descortinar a origem dos problemas, existe atendimento multi disciplinar, e reavaliação das fichas de tempos em tempos, para ver se nos escapou algo, os que não seguem os tramites normais, literalmente empurramos para seguir adiante, normalmente eles querem só a Apometria, tentam boicotar os 3 passes( o que em nosso passe é um pronto socorro rápido)o atendimento fraterno, ou atendimento de corpos, mas somos muito presentes na dinamica dos atendimentos com os pacientes.

Facebooktwitter