• Brasil
Ramatis Livros Espíritas Universalistas

VIAJANDO ESPIRITUALMENTE NUM SOL DE ANANDA

VIAJANDO ESPIRITUALMENTE NUM SOL DE ANANDA

Facebooktwitter

VIAJANDO ESPIRITUALMENTE NUM SOL DE ANANDA*

(Aprendendo, não a ter, mas, sim, a SER!)

 

Eu, neófito.

Com os chacras** ativados…

Pelos hierofantes***.

 

Eu, joia espiritual do Eterno.

Dentro do coração…

Fluindo com a Luz pela vida.

 

Eu, compaixão.

Com o mantra me guiando na senda…

Om Mani Padme Hum!****

 

Eu, alpinista espiritual.

Escalando a cordilheira dos meus chacras…

E evoluindo pelo meu Himalaia de dentro.

 

Eu, que só sei dançar com as estrelas.

Aos trancos e barrancos, crescendo…

E, ao mesmo tempo, rindo muito (inclusive, de mim mesmo).

 

Eu, que nada sei de grandes mistérios.

Pois sequer desvendei os meus pequenos mistérios internos…

Aprendendo a ver o infinito num grão de areia

 

Eu, navegante da consciência cósmica.

No momento, centelha do Supremo em forma de homem…

Grato ao Todo*****, por tudo!

 

P.S.:

Eu, mestre de nada e discípulo de coisa alguma

Sempre aprendendo por esse mundão de Deus…

Que, não adianta a alguém ganhar o mundo, se, com isso, perder sua alma.

 

(Dedicado, com admiração, em Espírito e Verdade, a quem enviou espiritualmente o Sol de Amor que hoje fez o brilho acontecer nos meus olhos e nos meus chacras.)

 

Gratidão.

Paz e Luz.

 

– Wagner Borges – aprendiz do Eterno.

São Paulo, 3 de fevereiro de 2017.

 

– Notas:

* Ananda – do sânscrito – estado de bem-aventurança; êxtase espiritual.

** Chacras – do sânscrito – são os centros de força situados no corpo energético e têm como função principal a absorção de energia – prana, chi – do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico.

Os principais chacras são sete, que estão conectados com as sete glândulas que compõem o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico. (Aqui não estão relacionados os chacras secundários, incluindo nisso o chacra esplênico, em cima do baço).

Obs.: Ver o texto “Chacras e Cura Psíquica – II”, no seguinte link do site do IPPB: http://www.ippb.org.br/bioenergia/chacras-e-cura-psiquica-ii

(E, para mais informações detalhadas sobre bioenergia, aura e chacras, ver a seção específica no site do IPPB, no seguinte link: http://www.ippb.org.br/bioenergia).

*** Hierofante – dentro do contexto das iniciações esotéricas da antiguidade, era o mestre que testava os neófitos (calouros) nas provas iniciáticas.

**** Om Mani Padme Hum – do sânscrito – sua tradução literal é: “Salve a joia no lótus”. Esse é um mantra de evocação do bodhisattva da compaixão entre os budistas tibetanos e chineses.

Om é a vibração universal.

Mani é a “Joia espiritual que mora no coração”; ou seja, é o próprio Ser, a essência divina.

Padme (Lótus) é o chacra cardíaco que envolve, energeticamente, essa joia sutil.

Hum é essa vibração vertendo a Luz pelo chacra cardíaco em favor de todos os seres.

Esse mantra é mais conhecido como o “mantra da compaixão”. É um dos mantras mais poderosos que conheço. Pode ser concentrado, mentalmente, dentro do peito – como se a voz mental estivesse reverberando ali –, ou dentro de qualquer um dos chacras que a pessoa desejar ativar. No entanto, o melhor lugar para ele é realmente o chacra cardíaco, pois o que chega ali é distribuído para todo o corpo, pela circulação do sangue comandada pelo coração, e também a todos os outros chacras do corpo energético.

O chacra frontal, na testa, também é excelente para a prática desse mantra, pois o que chega nele é distribuído ao longo da coluna pelos nádis – condutos sutis de transporte energético pelo sistema –, e comunicado a todos os outros chacras abaixo dele. Esse é o motivo pelo qual vários mestres iogues sempre aconselham aos seus discípulos iniciar alguma prática bioenergética por ele.

***** O Todo – expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *